Quem participou de uma palestra motivacional sabe dos resultados que ela agrega dentro de uma organização, principalmente no que diz respeito à motivação dos colaboradores. Entretanto, você conhece algum palestrante negro? Esta pergunta parece meio sem sentido em pleno século XXI, mas ainda há resistência na contratação de negros para realizarem palestras motivacionais para empresas.

Mas por que isto acontece? Faça um exercício e procure lembrar de um palestrante que você conhece. Faça uma pesquisa e você verá que palestrantes negros não são lembrados e muitas vezes sofrem um processo de invisibilidade, e simplesmente são deixados de lado no universo das palestras motivacionais. E qual o motivo? O principal fator, é o racismo estrutural. Por mais polêmico que seja o tema, é exatamente o que acontece no Brasil, condição que só depende de nós para ser mudada.

O racismo estrutural é caracterizado por um conjunto de hábitos, práticas, gestos e atribuições que promovem o preconceito contra os negros. De maneira prática, é aquela situação em que um negro, ao entrar numa loja, é vigiado e até seguido por seguranças, na iminência de um assalto, ou tentativa de furto, quando na verdade trata-se apenas de mais um cliente em potencial de determinado bem de consumo.

Embora o negro tenha um papel importantíssimo na formação do Brasil, sua história é marcada por uma condição de estar sempre sendo subjugado, relegado a funções subalternas na sociedade, herança trágica do regime escravocrata adotado por mais de 300 anos no país, e cujas feridas insistem em não cicatrizar. Se o número de negros em cargos de chefia nas organizações é ínfimo, isso não tem relação com capacidade profissional, mas com o preconceito contra a diversidade racial que ainda é latente no país, cuja maioria da população é negra, ou descendente de negros.

Se a discussão sobre cotas para negros e índios nas universidades públicas causa tanto debate hoje no Brasil, imagine quando os primeiros negros passaram a ocupar os bancos escolares e tiveram a “ousadia” de atuar em áreas como o Direito, a Literatura e o Jornalismo, a partir do século XVIII. Tal ousadia teve seu preço, na figura dos movimentos de segregação racial, muito comuns nos Estados Unidos, e chegaram ao Brasil, através da ideia que os negros são uma raça inferior, e cujo papel na sociedade é o de servir ao homem branco. Isso fica evidente na teledramaturgia e no cinema, onde durante muito tempo, negros e negras foram retratados como meros serviçais, criminosos, ou objeto de desejo sexual. Tal representação só reforçou, durante décadas, os estereótipos de discriminação racial adotados no Brasil.

Entretanto, esta realidade vem mudando, com negros e negras, vão alcançando seu lugar de destaque, através de ações de empreendedorismo, que promovem ações de igualdade, mas principalmente dão voz e visibilidade a profissionais negros, que até então encontravam dificuldade para adentrarem no mercado de trabalho.

A força de luta destes profissionais, ativistas e empreendedores são a motivação para os palestrantes negros, que de maneira bem pontual, com base em experiências pessoais levam esse conteúdo em suas palestras motivacionais. São histórias de superação de dificuldades, embaladas por um desejo vibrante de vencer.

Palestras motivacionais e diversidade racial

A contribuição dos negros para a formação da sociedade brasileira é muito rica. Para quem é palestrante, não faltam bons exemplos para citar em suas explanações, como Machado de Assis, considerado por muitos como o maior escritor que o Brasil já teve. No campo da literatura é possível citar também Maria Firmina dos Reis, a primeira escritora negra do Brasil. Se em 2019, uma escritora negra lançar um romance já parece algo muito distante da realidade, imagine em 1859, quando “Úrsula” foi publicado. Maria Firmina dos Reis ficou conhecida por seu ativismo social. Feminista e abolicionista, ela levou estes temas para suas obras, um marco na literatura brasileira.

A riqueza de detalhes da história de Maria Firmina pode muito bem ilustrar uma palestra motivacional numa empresa, abordando temas como a persistência e a luta de uma mulher negra para se consolidar como escritora no Brasil patriarcal, ouvindo todo tipo de impropério por que decidiu adentrar num universo que sempre foi masculino. Sua história pode ser abordada em palestras motivacionais de vendas, palestras de liderança, e palestras motivacionais de modo geral. Você não sabe quem é Maria Firmina dos Reis? Pesquise sobre ela e proponha a um palestrante um encontro para abordar sua história de vida e sua contribuição ne literatura brasileira.

Outro exemplo de mulher negra que pode ser abordado numa palestra motivacional abordando a diversidade racial é a cineasta Adélia Sampaio. Filha de uma empregada doméstica, ela foi a primeira mulher a dirigir um filme no Brasil. Trata-se de “Amor Maldito”, de 1984, longa-metragem que teve o roteiro escrito por José Loureiro e que aborda a história de amor entre duas mulheres no Rio de Janeiro. Inspirado numa história real, o filme é um marco na história do cinema nacional, mas que durante muito tempo foi ignorado pela crítica, ficando longe do conhecimento público.

Por que contratar um palestrante negro?

O objetivo de uma palestra motivacional para empresas é apresentar as vivências do palestrante sobre o assunto que ele aborda e como isso pode refletir para o melhor desempenho dos colaboradores no dia-a-dia da organização. Desse modo, as contribuições de um palestrante negro são inúmeras e até mais atrativas para a sua empresa. Pare e pense um pouco sobre todas as vivências e dificuldades que um negro enfrenta num país em que a discriminação racial é latente na sociedade brasileira, mesmo que de maneira velada.

Não se trata de vitimismo, mas de abordar de maneira clara, como o esforço e força de vontade pode levar uma pessoa a alcançar seus objetivos e poder passar isso para uma plateia com centenas de pessoas. São personalidades negras que servem de inspiração para milhares de pessoas no Brasil, como Luana Genot, escritora, diretora e fundadora do Instituto Identidades do Brasil; o ator e humorista Jeffinho Farias, que adquiriu a deficiência visual aos 11 anos e desde e se destaca como ator e humorista, integrando o elenco do Programa “A Praça é Nossa”, e Rosinha dos Santos, atleta paraolímpica brasileira, especialista no arremesso de dardo, disco e peso, vencedora de suas medalhas de Ouro, nos Jogos Paralímpicos de Sidney, em 2000.

Os colaboradores da sua empresa ficarão encantados e motivados após ouvirem a explanação dos palestrantes, que superaram as dificuldades e hoje se destacam na sociedade. São histórias de superação que emocionam e inspiram qualquer um!

Outro fator relevante para a contratação de um palestrante negro é que a sociedade vai, aos poucos, compreendendo a importância de assegurar direitos básicos, previstos na Constituição Brasileira, como o respeito ao próximo, sem distinção de cor, raça, credo religioso ou orientação sexual. Empresas caracterizadas por atitudes racistas são apontadas diariamente nas redes sociais, sendo cases negativos de intolerância, condição que promove além da uma imagem negativa, o boicote de consumidores, que passam a apontar como a instituição adota uma postura preconceituosa, sem levar em consideração os preceitos básicos de respeito ao ser humano.

Como faço para levar um palestrante à minha empresa?

Não há dúvidas do impacto positivo que um palestrante vai agregar na sua empresa. Por isso, a Converger é uma empresa que oferece palestras de impacto, em que todos os profissionais palestrantes integram o pilar da diversidade. São mulheres, negros, integrantes da comunidade LGBTQI e refugiados.

Os palestrantes abordam temas como Liderença, Mindset, Motivação, Diversidade, Vendas, Educação financeira, Humor (Stand
Up), Inclusão, Música, entre outros. As palestras têm duração aproximada de 60 minutos, e inclui um intérprete de libras. Além disso, os palestrantes ficam à disposição para fotos com o público e para responder perguntas. É um momento de entrega, que contribui para o desenvolvimento dos seus colaboradores. Não deixe de conhecer nosso grupo de palestrantes.

Deixe uma resposta

Fechar Menu